sexta-feira, 26 de novembro de 2010

JARDIM SUSPENSO

Outro dia, enquanto caminhava com minha esposa, uma cena inusitada tomou nossa atenção e assim permaneceu por alguns minutos. Tratava-se de um senhor de meia idade, pele bronzeada do sol pernambucano, montado em sua bicicleta. Até aí nada de novo, o que chamou a atenção de forma específica é que a bicicleta daquele homem, era um verdadeiro “jardim” ambulante, algumas adaptações foram feitas de forma que tanto a frente como a traseira da bicicleta se tornaram pequenos canteiros que proporcionavam o espaço suficiente, para transportar as mudas de várias espécies de plantas, tanto ornamentais como frutíferas, organizadas de uma forma especial. Uaal! Uma verdadeira obra de arte. Aquela imagem que nos impactou, não era apenas o ajuntamento de mudas, pequenos vasos e adubo, era uma maravilhosa forma de comunicação artística com os clientes em potencial e todos que em algum momento de sua caminhada o percebessem.

É esse tipo de encontro arrebatador que a arte e a criatividade geram quando utilizadas com sabedoria. Na manifestação da criatividade artística daquele homem, percebi uma demonstração clara da habilidade crítica de situação, e da ousadia para quebrar paradigmas estabelecidos aparentemente como definitivos, afinal, “sementeiras” e “jardins AMBULANTES” são no mínimo, incomuns.

O homem é um recipiente barroso repleto da beleza artística e criativa do próprio Deus. Assim também acontece na malhação do metal, quando se dá a concepção de uma nova forma. Artistas assim foram convocados por Deus na montagem do Tabernáculo (Êx 31:1-6). Vejo arte na coordenação impressionante das mãos de um artesão que manuseando a argila sobre a roda, promove um balé materializador de sonhos (Jr 18:14), o mesmo balé que utilizando-se também dos pés, transforma qualquer espaço e circunstância em ideal para celebrar a vitória e a vida com dança como fez o Rei Davi (2Sm 6:1-5).

A arte quando está a serviço do Reino de Deus é arte na sua essência, e deve ser observada como meio de comunicação excelente entre o maior dos artistas “Deus” e a obra prima de sua criação a “Humanidade”.

Que Deus nos use a cada dia para que expressemos com arte, pureza e beleza o nosso amor pelo autor e consumador da nossa fé. A Jesus o nosso louvor, a Ele a glória, a Ele nossa arte.

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus.” (1 Co 10:31)

Joésio Gomes